Arquivo da tag: Judo

A influência de Sakujiro Yokoyama no Brazilian Jiu Jitsu

As pesquisas sobre a origem do Jiu Jitsu no Brasil rastrearam quais os ramos de dentro da Kodokan saíram todos os principais japoneses que participaram do aperfeiçoamento do estilo, um nome se destaca indicando que uma determinada geração foi a responsável direta pelo refino das técnicas de chão.

Yokoyama Sakujiro

Yokoyama Sakujiro

Yokoyama Sakujirō (横山 作次郎 1864 – 23 de setembro de 1912) (鬼横山 Oni Yokoyama – diabo Yokoyama) foi um dos primeiros alunos de Kanō Jigorō (嘉納 治五郎, 28 de outubro de 1860 – 4 de maio de 1938) que formou o famoso grupo “Quadro Guardiões da Kodokan”  (講道館四天王 –  Kōdōkan Shiten’nō), responsável pelas vitórias contra outras escolas de Jiu Jitsu que firmaram a escola de Kano no final do século 19 e considerado por muitos o mestre dos mestres.

Yokoyama foi o professor direto de Mitsuyo Maeda (前田 光世, 18 de novembro de 1878 – 28 de novembro de 1941) a quem devemos a origem do Jiu Jitsu Brasileiro. Mas a importância do Conde de Koma foi talvez maior por sua representação do que pelo ensino direto que chegou a família Gracie e aos outros ramos do Jiu Jitsu brasileiro.

Mitsuyo Maeda

Mitsuyo Maeda

Tokugoro Ito

Tokugoro Ito

Yokoyama foi também professor de Tokugoro Ito que entrou na Kodokan em 15 de janeiro de 1899, em 1904 foi graduado 4 dan (quando Maeda deixou o Japão), em 1907 deixou o japão para fazer carreira de lutador tendo sido um dos maiores de todos os tempos.

Geo Omori

Um aluno de Ito chamado Geo Omori chegou no Brazil em 1928 depois de girar o mundo vencendo batalhas, ao chegar procurou Maeda no Pará provavelmente pela ligação de Maeda com Ito.

Geo Omori

Geo Omori

Pelas pesquisas atuais descobrimos que Omori preparou Carlos e George Gracie a partir de 1929 para lutas no circo Queirolos em São Paulo e quando Carlos iniciou os desafios ao Catch e à Luta Livre no final de 1931, o trouxe para o RJ para ajudar nessa disputa.

Carlos e seus irmãos não tinham conhecimento em “Luta de Ringue” como eram as técnicas de Jiu Jitsu adaptadas para confrontos contra outros lutadores, aprenderam apenas defesa pessoal, seja direto de Maeda, seja de seus instrutores como Jacyntho Ferro ou Donato Pires.

Ne waza (寝技) (técnicas de chão) de Omori já era desenvolvido o suficiente para indicar que a base de Maeda vinha daquela geração de Yokoyama.

Takeo Yano

Takeo Yano

Takeo Yano

Outro lutador que desembarca no Brazil já com a faixa-preta por volta de 1932 é Takeo Yano, esse é responsável por quase todos os ramos do nordeste, de Mestre Sá no Ceará a Builson Osmar no Pernambuco (professor de Ivan Gomes que se tornou sócio de Carlson Gracie). Assim que chega ao país faz o mesmo procedimento de Omori, vai para o Pará treinar com Maeda. Em meados de 1934 Yano é levado por Omori ao RJ para dar aulas no Club Naval da Marinha, demonstrando que existia uma comunicação entre eles.

Foto clássica de uma turma do Maeda com Takeo Yano em pé (primeiro a esquerda)

Foto clássica de uma turma do Maeda com Takeo Yano em pé (primeiro a esquerda)

Nos anos 30 Yano treinou tanto com Omori quanto com George Gracie, indicando que era profunda a troca de conhecimentos entres esses 3 (principais criadores do Jiu Jitsu brasileiro a partir do RJ). Yano foi sócio de George na academia em Recife, participaram dos mesmos circuitos de Luta em BH/RS/RJ/SP e lutaram mais de 10 vezes desde 1935. Fez ainda duas lutas com Hélio Gracie que terminaram empatadas porque as regras não contavam pontos e só valia finalizações.

Hajime Isogai

Hajime Isogai

Yano e Omori chegaram a lutar entre si tanto no Jiu Jitsu quanto em regras do Catch as Catch Can.

O professor de Takeo Yano foi Hajime Isogai (1871–1947), aluno de Jigoro Kano e contemporaneo de Yokoyama.

Isogai foi instrutor da Kodokan em 1899 no Dai Nippon Butoku Kai ( 大日本武徳会), uma espécie de instituto mantido pelo governo japonês imperial até 1945.

Yassuiti Ono

Irmãos Ono (Yassuiti e Naoti) foram os responsáveis por grande parte dos ramos de Jiu Jitsu em São Paulo ao lado das academias do George Gracie e do Gastão Jr, foram ao RJ em meados dos anos 30 desafiar os Gracies.

Yassuiti empatou duas vezes com o Hélio nas regras do Carlos Gracie (só valendo finalização). Contra o George era valendo pontos, venceu uma por finalização e perdeu outra por desclassificação, aplicou socos enquanto estava sendo finalizado. Naoti (Oninho) perdeu as 3 lutas que fez para George, duas por finalizações e uma por pontos.

Yassuiti Ono foi aluno de Yaichibei Kanemitsu (金光弥一兵衛, 1892-1966), Kanemitsu tinha experiência em um estilo Koryū (古流 – Jiu Jitsu antigo dos samurais) que não possuía newaza refinado e quando entrou na Kodokan foi aluno direto de Yokoyama (primeiro diretor técnico do dojo da Kodokan). Esse fato nos indica que sua formação de chão veio dessa geração de Yokoyama, já que no estilo Koryu praticado por ele não se encontrava esse currículo.

Reunião no Kodokan em 1954, Kanemitsu ao centro na linha de trás. Oda é o segundo da esquerda para a direita na linha da frente. Risei Kano ao centro na linha frontal, com Mifune ao seu lado.

Reunião no Kodokan em 1954, Kanemitsu ao centro na linha de trás. Oda é o segundo da esquerda para a direita na linha da frente. Risei Kano ao centro na linha frontal, com Mifune ao seu lado.

Um fato curioso é que Kanemitsu também foi instrutor no Butoku Kay, assim como Isogai, o contemporaneo de Yokoyama.

Kanemitsu é creditado ao lado de Tsunetane Oda como criadores do Sankaku (triangulo) e responsável pelo aperfeiçoamento de variações a partir do triangulo. Como essas posições foram desenvolvidas entre 1910 e 1920 é muito provável que Ono tenha trazido esse conhecimento e tenha disseminado com Yano, Omori e George. Há informação que nos anos 50 o triangulo era conhecido em todas as academias de Jiu Jitsu do Rio de Janeiro.

Ono foi preparado por Omori para os confrontos contra Hélio e George nos anos 30, quando Ono lutou contra Hélio em 1935 o George andou bolando com ele na academia do Omori, nos anos 50 ele foi o responsável principal pela vinda do Kimura para o Brazil nas duas vezes.

George Gracie

George Gracie

George Gracie

George foi responsável por treinar a família, preparou o Hélio para todos os confrontos até 1937 (quando Hélio se aposenta só voltando em 50) e treinou com todo mundo no período, de Jiu Jitsu a Catch As Catch Can.

Quando Hélio ia lutar era o George quem o preparava mesmo quando estava brigado com os irmãos, fato que aconteceu repetidamente porque não se sub-julgava à direção de Carlos além do seu temperamento amável e ao mesmo tempo explosivo.

George tinha livre trânsito em todas as academias, diferente de seus irmãos, principalmente Carlos e Hélio que queriam ter o monopólio do direito de ensinar Jiu Jitsu apenas para a família (segundo declarações do próprio George).

Árvore Genealógica do Jiu Jitsu

Refazendo a linha direta mestre-aluno a partir das pesquisas:

Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Carlos Gracie (*)
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Tokugoro Ito -> Geo Omori -> Carlos/George Gracie.
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Geo Omori -> Carlos/George Gracie.
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Geo Omori -> George Gracie (**)
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Yaichibei Kanemitsu -> Yassuiti Ono
Jigoro Kano -> Hajime Isogai -> Takeo Yano
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Takeo Yano
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Geo Omori -> Takeo Yano (***)
Jigoro Kano -> Yokoyama Sakujiro -> Mitsuyo Maeda -> Geo Omori -> Takeo Yano -> George Gracie

(*) Há controvérsias sobre quanto tempo Carlos recebeu conhecimentos no Pará e até se foi direto de Maeda, a única certeza é que foi apenas Defesa Pessoal e não técnicas para ringue.
(**) George continuou com acesso livre a Omori treinando junto por diversos momentos.
(***) Trajeto de treinos de Takeo Yano no Brazil

Yokoyama e Hajime foram alunos de Jigoro Kano, mas considero que o currículo de solo da Kodokan foi um trabalho coletivo e não como aprendizado direto de Kano, até porque o Kito-Ryu (estilo Koryu de Kano) não tinha essas técnicas.

Conclusão

Avaliando os relacionamentos entre os principais japoneses (Omori, Yano e Ono) que participaram da criação dos estilos e dojos praticados no Brazil com o responsável (George Gracie) pela técnica da família Gracie (que perpetuou e popularizou o newaza da Kodokan) levantamos a hipótese de que a geração de Yokoyama (diretor técnico da Kodokan) já havia chegado ao estado da arte nesse currículo e que o próprio Yokoyama provavelmente o principal nome do refino dessas técnicas ou no mínimo o treinador mais importante do grupo.

Técnicas de solo com base das costas no chão são de exclusividade desse período da Kodokan, em nenhum outro lugar do mundo se encontra estilos com essa características até o momento.

Fontes

Principais:
JUDO TRADICIONAL GOSHINJUTSUKAN mantido pelo pesquisador Elton Silva.
Agradecimento especial a Fred Silva pelas informações sobre Yaichibei Kanemitsu na discussão sobre o tema. Alguns textos estão “Ipsis litteris” ao que ele escreveu.
Fundação Biblioteca Nacional
Projeto de Pesquisa George Gracie.